Outros sites
 Site do SIMPA
 RS Urgente
 Diário Gauche
 Agente 65
 Dialógico
 Blog do Júlio Garcia
 A Carapuça
 Blog do Kayser - cartuns
 Agência Carta Maior
 ANIMOT
 Alma da Geral
 Buracos da Baltazar
 Os Buracos de Porto Alegre
 PENSAMENTO DIVERSO
 SIVUCA
 RESISTIR.INFO
 Blog do PREVIMPA
 Artigos e Textos sugeridos




Categorias
Todas as mensagens
 Evento


Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog




 
 
Blog dos Municipários de Porto Alegre


O verdadeiro índice de reajuste - a proposta de Fogaça

A pauta geral da database já foi negociada, e muito bem relatada abaixo pelo colega Paulo Müzell. Porém cabem ainda algumas considerações.

Em um cálculo rudimentar (provavelmente contém alguma pequena imprecisão, mas a grosso modo está bastante aproximado), podemos constatar o verdadeiro reajuste de nossa database caso o governo insista em não considerar o reajuste integral retroativamente. O montante devido para um salário base de R$ 1000,00, em 12 meses (mais o 13º salário) fica em R$ 307,70, e o índice, caso o governo se negasse a pagar, passaria a ser, efetivamente, de 3,16%. Ou seja, a regra de reajuste proposta pelo governo Fogaça equivale ao pagamento de 3,16% desde maio até a próxima database, representando uma perda da ordem de 2,37%. Confere na tabela abaixo:

MêsSalário base   SEM reajusteIPCASalário reajuste integralCronograma governoSalário reajuste governo
mai/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,301,00%R$ 1.010,00
jun/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,301,00%R$ 1.010,00
jul/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,301,00%R$ 1.010,00
ago/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,301,00%R$ 1.010,00
set/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,303,00%R$ 1.030,00
out/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,303,00%R$ 1.030,00
nov/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,303,00%R$ 1.030,00
dez/09R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,303,00%R$ 1.030,00
13ºR$ 1.000,005,53%R$ 1.055,303,00%R$ 1.030,00
jan/10R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,305,53%R$ 1.055,30
fev/10R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,305,53%R$ 1.055,30
mar/10R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,305,53%R$ 1.055,30
abr/10R$ 1.000,005,53%R$ 1.055,305,53%R$ 1.055,30
Total anoR$ 13.000,00 R$ 13.718,90 R$ 13.411,20
Média5,53%R$ 1.055,303,16%R$ 1.031,63


Escrito por Leandro Rodrigues às 21h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



O novo jeito de governar Porto Alegre

Mais uma database andando, negociações, atos e passeatas acontecendo. Nem sinal do prefeito José Fogaça. Imagina-se que seja um sujeito ocupado, cheio de processos pra despachar, reuniões com setores relevantes da sociedade. Pois esse governo está sempre inovando, e sempre surpreende, especialmente por fatos como o que segue.

Sem querer desprezar o ato, mas inserindo num contexto de dificuldades nas negociações entre o comitê de negociação e o SIMPA, parece surreal o relato que leio no site da PMPA. José Fogaça não se digna a receber o SIMPA, representação de cerca de 25 mil servidores municipais, trabalhadores que atendem à população que o elegeu, mas faz agenda externa para... inaugurar placas de sinalização. Sim, isso mesmo. Inauguração de placas de sinalização dos "Caminhos Rurais" merecem mais atenção do prefeito do que os servidores que movem a PMPA. Me lembra Yeda, que no meio de mais um escândalo protagonizado por secretários de estado foi flagrada pelos cliques contemplando belas obras de arte.

Até nisso se igualam. Fogaça, se candidatasse-se ao governo do estado, seria uma continuidade coerente com o governo Yeda. Será que o Rio Grande do Sul aguentaria?


Foto: Ricardo Giusti/PMPA

 

 

 

 

 

Fogaça acompanhou instalação da 61ª
placa dos Caminhos Rurais



Escrito por Leandro Rodrigues às 20h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Tão metendo a mão no nosso $$

Este post, publicado hoje (10 de julho) no RS URGENTE, foi escrito pelo grande colega Paulo Müzell, e retrata com fidelidade o sentimento que fica até agora a respeito de nossa database. Trago junto os comentários, bastante pertinentes. Se quiser ler no blog do Marco Weissheimer, clica no título abaixo.

O lucro do arrocho: Fogaça retira quase R$ 30 milhões dos salários dos funcionários municipais

 Paulo Muzell escreve:

Na última quarta-feira, dia 8 de julho, ocorreu nova assembléia geral dos municipários de Porto Alegre. O tema central da pauta era o exame da proposta apresentada pelo prefeito José Fogaça (PMDB) em resposta às reivindicações do dissídio de 2009 da categoria. Iniciadas no início da segunda metade de abril, as negociações resultaram num impasse porque duas propostas anteriores foram rejeitadas. A razão principal da recusa foi decisão do governo de descumprir a sua própria lei salarial que terminou com o reajuste bimestral e definiu reajustes anuais, com base no IPCA.

Depois de anunciar três expressivos e crescentes superávits e alardear como uma das principais realizações de sua administração o “saneamento das finanças municipais”, alegando queda da receita nos primeiros meses de 2009 e incertezas futuras decorrentes da crise, Fogaça recusou-se a repor o poder de compra dos servidores. O IPCA dos doze meses anteriores a maio registrou variação de 5,53% e a Prefeitura pagou 1% em maio e prometeu pagar 2% em setembro e o saldo (2,53%) a partir de janeiro de 2010.

A proposta apresentada dia 8, embora insuficiente, representou alguns avanços e por isso foi aprovada com restrições. O governo recuou de decisões já tomadas e que vinham causando grande mal estar nas áreas da saúde e da educação. Na saúde, o corte do adicional de insalubridade foi suspenso e na educação a decisão de limitar a concessão de licenças-prêmio foi revogada e o pagamento do vale-refeição será concedido aos licenciados. O vale-alimentação foi reajustado em 1 real e 75 centavos, o que representa um acréscimo na remuneração mensal de 43,75 reais, valor significativo para os servidores com remuneração mais baixa. O padrão 2, atualmente de 420 reais será equiparado ao salário mínimo nacional através de abono, pago retroativamente à fevereiro. Mas na questão central, o percentual do reajuste Fogaça não recuou um milímetro. Decidiu e não abriu mão de “fazer caixa” via arrocho.

O Sindicato dos Municipários (SIMPA) fez os cálculos da “economia” do arrocho. De maio a agosto, quatro meses pagando 4,53% a menos na folha representam 17,2 milhões de reais de “poupança”. De setembro a dezembro são cinco folhas (quatro meses mais o 13º), 2,53% pagos a menos cada mês numa folha de 95 milhões, some-se mais 12 milhões ao “caixa”. Resultado do arrocho: 29,2 milhões de reais até o final deste ano. Insatisfeitos, os municipários decidiram manter a mobilização através atos de protesto programados para todas últimas quintas-feiras de cada mês e realizar paralisações rápidas e atos de protestos a serem realizados periodicamente em todas secretarias.

2 Comments on “O lucro do arrocho: Fogaça retira quase R$ 30 milhões dos salários dos funcionários municipais”

  1. #1 Hélio Sassen Paz
    on Jul 10th, 2009 at 1:39 pm

    Marco,

    Sou mais libertário do que partidário e estou estudando meios de transformar a péssima democracia representativa em uma democracia participativa capaz de horizontalizar as relações políticas ao invés de delegar representantes que não satisfazem às demandas de seus supostamente representados junto a outros ciberativistas do país inteiro.

    Infelizmente, a maioria das pessoas ainda crê em instituições burocráticas, clientelistas, paternalistas e fechadas em hierarquias excludentes. A esquerda partidarizada, apesar de bem menos do que a direita, também não deixa de ser excludente.

    No entanto, enquanto o sistema vigente for este, o menos pior que há é o PT. Nesse ponto, as comparações com o resto são pequenas e pouco verossímeis em uma série de aspectos práticos e teóricos.

    Lembro bem da imensa legião de municipários que se queixavam horrores do PT. A sangria e a tunga que estão levando agora não digo que seja merecida porque seria muito pequeno rir da desgraça alheia. Mas, quem sabe só assim, levando na cabeça, a dor e a lição de terem apoiado o que de pior existe na política gaúcha em todos os tempos possa servir para alguma coisa…

    Tanto no âmbito municipal quanto no estadual, boa parte dos mesmos sindicatos que hoje lutam pelos justos direitos do funcionalismo e estão contra o desgoverno Fumaça-Yoda muito me surpreenderam anos atrás ao apoiarem Britto, Rigotto, Fogaça, Yeda após terem considerado o final de cada uma das administrações populares como pavoroso. Acho que Olívio teve um arrego nos três primeiros anos (tanto em POA como no RS) e o único onde poucos problemas ocorreram foi o governo de Raul. Tarso 1 e 2 e Verle sofreram mais.

    Enfim… Talvez o brasileiro tenha se acostumado ao coitadismo e ao paternalismo tanto do estado como das empresas não-neoliberais. E o sindicalismo perdeu a unidade e o elan ao não compreender a dissociação entre espaço e tempo proporcionados pela internet, repleta de mídias sociais de resultados políticos sensacionais no exterior e ainda de resultados pífios no Brasil.

    []’s,
    Hélio

    [Reply]

  2. #2 Rick
    on Jul 10th, 2009 at 1:58 pm

    O consciente economista e ex-colega municipário Paulo Muzzel revela seu conhecimento e perspicácia. Já tive aulas com ele e admirei seu trabalho militante junto à Casa Civil do governo Olívio, na gestão Koutzzi.
    Num outro blog vi um cálculo que, a cada R$ 1.000,00, R$ 45,00 por mês eram surrupiados até setembro e R$ 25,00 por mês de setembro à janeiro. Sem contar o 13.º salário, férias e outros encargos sociais.
    Até no vale-alimentação que eles deixarão de pagar retroativos a maio, estão sendo engolidos quase R$ 90,00 por funcionário.
    Além de fazer caixa estão editando instruções normativas, diminuindo drasticamente a possibilidade de tolerância horária e cobrando por minutos atrasados ou meia-falta por período superior a 1 hora de atraso.
    Claro que Diretor e Superintendentes estão de fora…
    E essa a política de pessoal do poeta Fogaça…

    Rick


Escrito por Leandro Rodrigues às 19h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Enquanto isso...

A prefeitura de Porto Alegre, que espalhou em todos os cantos e recantos do país que é superavitária, que recuperou as finanças do município, oferece 5,53%, parcelado em 3 cotas:

  • vergonhosos 1% desde maio/2009
  • 2% a partir de setembro/2009
  • 2,53% a partir de janeiro/2009.

O maior problema não é o parcelamento, mas a não garantia de pagamento desses reajustes em atraso (pra entender melhor, vê a tabela publicada aqui).

Não é fácil...



Escrito por Leandro Rodrigues às 01h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Reajustes em 2009 (municípios)

“Vale registrar que nos níveis estadual, federal e em várias capitais brasileiras os reajustes concedidos ao funcionalismo, quando ocorrem, tem ficado muito abaixo da revisão salarial proposta pela PMPA à categoria. Em alguns casos, o reajuste é de apenas 0,1%.”
(Publicado no Informativo Eletrônico da Secretaria Municipal de Administração de Porto Alegre, Edição Especial -17JUNHO2009)

A comissão de negociação salarial do governo Fogaça anda mal informada. Repetem à exaustão o mantra publicado acima.
Este, e as notícias abaixo, recebi em e-mail de um colega mostrando o que o governo Fogaça e a imprensa gaúcha tentam esconder: é possível conceder reajustes dignos aos servidores, mesmo no período de "crise internacional".

Acompanha, segue os links e confere:

Cachoeirinha (RS)

Funcionalismo vai receber reajuste de 11,83%, sendo 4% de ganho real. É o maior aumento da região

A Câmara de Vereadores aprovou terça-feira o projeto do governo municipal de reajuste salarial dos servidores. O índice de aumento é de 11,83%, sendo que 5,5% já serão pagos no próximo contracheque (retroativo a maio) e 6% a partir de janeiro de 2010.

GANHO REAL - Do total, considerando o índice inflacionário mais alto apurado no estado - o IPC medido pela UFRGS, que acumulou em 7,79% entre maio/2008 e maio/2009 - 4 pontos percentuais são de aumento real (reposição de perdas). O sindicato dos municipários aprovou a proposta. Para se ter uma idéia, entre 2005 e 2008, na gestão do ex-prefeito José Stédile (PSB), o ganho real dos servidores foi de 5,83%, mas durante os quatro anos de mandato. Leia na fonte.

São Leopoldo (RS)

Câmara aprova reajuste de servidores de São Leopoldo

São Leopoldo - Foi aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores de São Leopoldo, na sessão da noite de quinta-feira, o reajuste de 5,92% para os servidores municipais. O projeto também abre caminho para tornar realidade a disponibilização de plano de saúde para os servidores: com a aprovação, a Prefeitura reserva R$ 1,2 milhão para garantir o primeiro ano do benefício.

O reajuste altera os vencimentos de funcionários da Prefeitura, Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae), Hospital Centenário e Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Servidores Municipais (Iaps). Dados da Secretaria Municipal de Administração atestam que cerca de 5 mil servidores serão beneficiados. Leia na fonte.

Esteio (RS)

Aprovado reajuste para prefeitura e Câmara de Esteio

Para sustentar a medida, foi aprovado crédito suplementar de R$ 6,6 milhões.
quarta-feira, 20 de maio de 2009 - 07h37

Esteio - A Câmara de Vereadores de Esteio aprovou na noite de ontem, em sessão no Colégio Coração de Maria, o reajuste dos salários de servidores municipais, do Executivo e Legislativo. Para os funcionários da prefeitura e autarquias, o valor foi estipulado em 6,33%, a serem concedidos a partir de 1.º de maio, e outros 3,5% sobre o novo valor, a serem concedidos a partir de 1.º de setembro. Para os servidores da Câmara de Vereadores, o reajuste é de 7%. Com a aprovação, os vencimentos do prefeito Gilmar Rinaldi (PT), do vice Fladimir Costella (PMDB), dos secretários municipais e conselheiros tutelares também serão reajustados. Leia na fonte.

Uberlândia (PR)

Prefeito Odelmo Leão concede reajuste salarial de 8% e 12,5%
De 2005 a 2009, são 44,98% de reposição salarial

O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, enviou ao Poder Legislativo o Projeto de Lei nº 007/09, que concede a partir do dia 1º de fevereiro, reajuste salarial de 12,5% para os servidores que têm salários fixos em R$418,02. Os salários dos servidores da administração direta e indireta, inclusive os contratados, que ganham acima do valor do mínimo, serão reajustados em 8%.    O reajuste sobre o salário base do servidor público municipal, anunciado no dia 25 de fevereiro é resultado de negociações do governo municipal com o Sindicato dos Servidores Públicos. Com este reajuste os servidores municipais acumularão de 2005 a janeiro de 2009, 44,98% de reposição salarial. São 23,26 pontos percentuais superiores ao INPC de 21,72% acumulado no mesmo período.Os salários de prefeito, vice-prefeito e secretários não terão reajuste. Leia na fonte.

Mariana (SP)

Prefeitura de Mariana concede aumento salarial a servidores, sem passar pelo legislativo
Na manhã de quinta-feira, 30, ocorreu uma reunião extraordinária, na Câmara de Mariana, quando foi aprovado o aumento salarial de 5,61% para os servidores públicos municipais, a pedido do prefeito Roque Camêllo. Leia na fonte.

Maceió (AL)

A Prefeitura de Maceió encaminhou à Câmara Municipal de Maceió o projeto de lei que reajusta em 13% o salário dos professores do município
Enviado em regime de urgência, o projeto fixa ainda o valor das gratificações para os cargos de diretor e vice-diretor de escola, que passa a ser de R$ 802,50 e R$ 562,50, respectivamente.
O reajuste de 13% será pago retroativo a fevereiro, sendo 8% sobre a folha de março e 5% no próximo mês de outubro. Ainda segundo o projeto de lei, a diferença do reajuste salarial e das gratificações de funções de diretor e vice-diretor, referente aos meses de março e abril, serão pagas em maio. Leia na fonte.

Blumenau (SC)

Servidores municipais de Blumenau aceitam reajuste salarial proposto pela prefeitura
Categoria receberá 5,83% de aumento salarial e R$ 7 de vale-refeição

Os servidores públicos municipais de Blumenau aceitaram a proposta de reajuste salarial oferecida pela prefeitura, uma semana após a terem rejeitado.
A categoria receberá 5,83% de aumento salarial, valor que repõe o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O vale-refeição também será reajustado, passando de R$ 6,40 para R$ 7.

Pagamento - Caso a Câmara de Vereadores aprove o projeto até quinta-feira, o aumento poderá entrar em vigor na folha de pagamento deste mês, segundo o secretário de Administração, Fernando Lenzi. Leia na fonte.

Belém (PA)

A Prefeitura de Belém anunciou, nesta segunda-feira (11), o índice de reajuste salarial de 6% para os servidores municipais, em 2009 . O aumento foi divulgado durante entrevista coletiva à imprensa do secretário municipal de Planejamento e Gestão, Edilson Ramos Pereira, na sede da própria Segep. Estiveram presentes também a secretária municipal de Administração, Maria da Glória Albuquerque, e a secretária de Assuntos Jurídicos, Alynne Athayde. Nos últimos cinco anos, com a ascensão de Duciomar Costa à Prefeitura de Belém, os servidores acumularam reajuste total de 34,61%, dos quais 9,93% foram de ganho real, ou seja, acima da inflação. Leia na fonte.



Escrito por Leandro Rodrigues às 01h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Reajustes em 2009 (Estados e outros)

Bahia (BA)

Governo paga este mês reajuste linear
19/02/2009
O Governador Jaques Wagner sanciona nessa sexta-feira (20) o Projeto de Lei que estabelece o reajuste salarial de 5,9% para os servidores estaduais das diversas carreiras dos grupos ocupacionais do Poder Executivo. Com o reajuste, o Governo do Estado garante o compromisso de que nenhum vencimento básico do funcionalismo seja inferior ao mínimo - que passou a valer R$ 465 no dia 1º de fevereiro. A manutenção do piso salarial mínimo para os servidores estaduais foi uma conquista assegurada desde 2007. Leia na fonte.

Pará (PA)

Acordo beneficia 11 categorias do serviço público
Da Redação
Agência Pará
O governo do Estado assinou na tarde desta quinta-feira (4) o acordo coletivo de 2009 com a Intersindical, que reúne 11 entidades representativas dos servidores públicos, exceto os professores. Com a assinatura do documento, ficou formalizado o reajuste já acrescido nos salários de maio, retroativo ao mês de fevereiro.
Para os trabalhadores de nível fundamental, o aumento foi de 12,05%; para o nível médio, 9,93%; e para o nível superior, de 6% a 7,25%, sendo que a inflação foi de 5,92% no período de abril de 2008 a abril de 2009, de acordo com o Dieese. Leia na fonte.

Paraná (PR)

Requião anuncia aumento salarial de 6% ao funcionalismo do Paraná
22/04/2009
O governador Roberto Requião anunciou nesta quarta-feira (22) que o Governo do Paraná vai enviar à Assembleia Legislativa projeto de lei estabelecendo reajuste de 6% nos salários do funcionalismo estadual. O projeto será entregue ao Legislativo nesta quinta-feira (23) pelo vice-governador Orlando Pessuti. O percentual, ressaltou Requião, será um pouco maior que a inflação projetada para os últimos 12 meses, que é de 5,2% (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA). Leia mais na fonte.

Reajuste salarial dos servidores estaduais vai ser pago neste mês
17/06/2009

O Governo do Paraná vai aplicar nos salários deste mês o reajuste de 6% ao funcionalismo. Ao todo, 249 mil trabalhadores do serviço público estadual – funcionários efetivos da ativa e aposentados, civis e militares; e ainda contratos temporários, empregados da Paraná Educação e dos convênios com as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) – serão beneficiados. Leia na fonte.

Mato Grosso do Sul (MS)

Reajuste salarial de servidores é sancionado na 2° feira
Campo Grande, 18 de Junho de 2009

O governador André Puccinelli (PMDB) sancionou nesta segunda-feira o reajuste dos servidores públicos estaduais. O teto do reajuste é de 24,2% e o piso, de 6%. Os projetos foram aprovados pela Assembleia Legislativa por unanimidade, na última quinta-feira. O aumento é retroativo ao dia 1º de maio e virá na folha de pagamento dos servidores em junho. Conforme o projeto do Executivo, o reajuste será de 6% a 10,42%, para policiais militares; de 11% para servidores administrativos com nível superior; de 17,4% para os que possuem  ensino médio e de 20,48% para quem tem nível fundamental. Os policiais civis receberão um aumento de 16,69%, além da criação da quarta classe e diferenciação salarial de 20% entre uma classe e outra. Servidores comissionados terão aumento de até 24,2%. Leia (mais) na fonte.

Reajuste salarial dos servidores será entre 6% e 25%, diz Youssif
Com intuito de corrigir distorções salariais, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul dará um reajuste diferenciado por categoria. A informação é do líder do governo na Assembléia Legislativa, deputado Youssif Domingos (PMDB). “O reajuste linear será de 6%. Para corrigir distorções, algumas categorias terão reajuste até 25%”, informa.
Na tarde de ontem (6), Youssif e os deputados da base aliada estiveram reunidos com os secretários estaduais e o governador André Puccinelli (PMDB) para discutir os índices de reajuste salarial. “Os técnicos do governo estão fechando os projetos de reajuste e revisão salarial, que devem ser encaminhados à Assembléia na próxima segunda-feira. Até o dia 15, o governador tem que sancioná-los para que os salários estejam na conta dos servidores no primeiro dia útil.” Youssif informou ainda que estão previstos para algumas categorias abonos de R$ 75, R$ 100 e R$ 150. Leia (mais) na fonte.

Paraíba (PB)

Governador anuncia reajuste salarial de 10% para professores
08-Mai-2009

O governador José Maranhão anunciou um reajuste de 10% para o magistério estadual a partir de maio. A medida atualiza o piso salarial nacional dos professores da rede estadual de ensino, que atualmente está fixado em R$ 776,93 e passa a R$ 854,62, para 30 horas semanais de atividades. A medida beneficia os 17 mil professores e técnicos do magistério estadual.

Antes mesmo da reunião com os dirigentes da Associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP) e do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep), no Palácio da Redenção na noite desta quinta-feira (7), o governador Maranhão antecipou à imprensa que iria repassar o reajuste de 9,35% solicitado pela categoria. Como os professores reivindicavam a atualização do piso retroativo a janeiro e o Governo argumentou que não teria condições de atender, ele propôs os 10%.

Avaliação positiva – Em entrevista após o encontro, o coordenador geral do Sintep, Antonio Arruda, destacou que o reajuste foi satisfatório. “A proposta do Governo com certeza promove ganho salarial, porque nós vamos ganhar de janeiro para cá 19,9%, praticamente 20%, e veja que a inflação anual não vai chegar a 6%”, avaliou o dirigente sindical. Leia (mais) na fonte.

São Paulo (SP)

Projeto do governo antecipa reajuste salarial para policiais

O governador José Serra encaminhou à Assembléia Legislativa três mensagens propondo alterações nos projetos de lei complementar 59, 60 e 61, com o objetivo de antecipar a entrada em vigor dos aumentos para os policiais. Os projetos haviam sido enviados à Assembléia na semana passada, e estão em tramitação.

Os projetos prevêem a concessão de dois aumentos de 6,5% aos policiais. Pelo texto original, o primeiro aumento seria pago a partir de 1º de janeiro de 2009, e o segundo, a partir de 1º de janeiro de 2010. Com a alteração encaminhada pelo governador, o primeiro será pago a partir de 1º de novembro de 2008, e o segundo, a partir de 1º de novembro de 2009. Com isso, passam a incidir também sobre o 13º salário pago em cada ano. Leia (mais) na fonte.

Outras categorias

Servidores do TCU terão reajuste de 10%
BRASÍLIA - Em meio à dificuldade do governo para liberar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o presidente em exercício, José Alencar, sancionou a lei que concede reajuste médio de 10% a 2.529 servidores do Tribunal de Contas da União (TCU), responsável pela fiscalização do uso do dinheiro público. Os vencimentos dos servidores do TCU variam de R$ 4.604 (último nível de auxiliar, carreira em processo de extinção) a R$ 13.710 (maior remuneração de analista).
(Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/mat/2009/06/17/servidores-do-tcu-terao-reajuste-de-10-756392017.asp )

Servidores do Judiciário terão reajuste salarial de 10% em 2009

O Pleno do Tribunal de Justiça aprovou por unanimidade hoje, dia 19, o reajuste salarial de 10% para os servidores do Judiciário. A medida entra em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2009 e segue a meta de valorização das carreiras jurídicas, dentro das possibilidades orçamentárias do Poder Judiciário. O percentual repõe a inflação do ano ? estimada em 6,5% pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ? além de proporcionar ganho real na remuneração dos servidores. O reajuste de 2008 também foi de 10%.
(Fonte: http://www.direito2.com.br/tjse/2008/nov/19/servidores-do-judiciario-terao-reajuste-salarial-de-10-em-2009)

Assembléia aprova reajuste salarial de servidores do TJ  ( Maranhão)
12/mai/2009
A Assembléia Legislativa do Estado aprovou em segundo turno, na tarde de ontem, 11, projeto de lei do Poder Judiciário que concede reajuste salarial de 5,9% aos servidores do Tribunal de Justiça. De acordo com o presidente do TJ e autor do projeto, desembargador Raimundo Freire Cutrim, a correção dos salários será retroativa a março de 2009. O líder do governo na AL, deputado Francisco Gomes (DEM), classificou a aprovação como "um ato de justiça". "É justo que os funcionários do TJ sejam contemplados com o mesmo reajuste indicado para os servidores do Executivo", enfatizou.
(Fonte: http://www.jornalpequeno.com.br/2009/5/12/Pagina107915.htm)

Jobim garante reajuste salarial dos militares até 2010.
O ministro da Defesa, Nelson Jobim, garantiu que o salário dos militares será reajustado até 2010. "A lei que autoriza o aumento para os militares já está aprovada", disse.Segundo ele, no caso dos recrutas o aumento pode chegar a 140%. Para os oficiais generais de quatro estrelas o reajuste médio será de 36% a 40% entre janeiro de 2009 e julho de 2010.
Jobim ainda descartou cortes no orçamento e projetos do Ministério da Defesa em razão da crise econômica mundial. "O plano estratégico de defesa é de médio e longo prazo.
(Fonte: http://www.cabecadecuia.com/noticias/45028/jobim-garante-reajuste-salarial-dos-militares-ate-2010-.html)

Defensores Públicos não aprovam reajuste salarial dado pelo governo
06/jun/2009

O reajuste linear de 5,53% anunciado na última quarta-feira, 03, pelo governo estadual também não agradou aos defensores públicos do Estado. De acordo com a presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado de Sergipe (ADPESE), Ana Paula Gomes Santos, o reajuste salarial diferenciado de 15% não atende as reivindicações da categoria, que pede equiparação salarial com os procuradores do Estado. "Criamos uma esperança no governo de Marcelo Déda e mais uma vez não tivemos um reajuste salarial satisfatório. O aumento diferenciado de 15% anunciado pelo governo, na verdade é de 10%, porque os outros 5% corresponde ao valor concedido a todos os servidores estaduais. Além disso, temos as mesmas atribuições dos procuradores do estado e a diferença de salários chega a 300%", afirmou.
(Fonte: http://www.correiodesergipe.com/lernoticia.php?noticia=33116)



Escrito por Leandro Rodrigues às 21h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Nem mais a falar nosso prefeito se digna

Essa também veio do RS URGENTE, publicada no dia 3 desse mês. Acompanha:

Fala, Fogaça!

 Omisso é um adjetivo mínimo para designar o desempenho do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB). Como já aconteceu outras vezes, Fogaça fugiu do debate sobre o horário-limite para a permanência das mesas de bares nas calçadas à noite. A Câmara de Vereadores aprovou a colocação das mesas até às 2h o que tem provocado muita polêmica já que moradores de bairros como Cidade Baixa e Moinhos de Vento, por exemplo, consideram este limite abusivo. Numa política que se não tenta servir a dois senhores, ao menos pretende não desagradar a nenhum deles, Fogaça ficou em cima do muro e não se manifestou sobre o projeto, alegando que não havia unanimidade sobre o mesmo. Ora, o silêncio só se justificaria justamente se houvesse tal unanimidade. Um prefeito é eleito para, entre outras coisas, ter opiniões sobre os temas de sua cidade e tomar decisões.

A postura de Fogaça foge à regra de uma cidade cujos prefeitos costumavam ter posições conhecidas não só pelos portoalegrenses mas em todo o país e até fora dele. Ao admitir que só se posicionará internamente sobre este tema, Fogaça finge que não está no cargo para o qual foi eleito. Ele é prefeito e, como tal, precisa dar satisfação aos moradores da cidade sobre as decisões de âmbito municipal que afetarão suas vidas.

A professora Maria Angélica Arruda Trez mora nas proximidades da Padre Chagas e não se conforma com a idéia de as mesas dos bares ficarem até mais tarde na calçada: “Eu trabalho nos finais de semana, quando é que vou dormir? Votei no Fogaça mas me arrependo porque ele não tem coragem nem para dizer se está do meu lado ou dos farristas.” Juliano Paz Neto freqüenta a Cidade Baixa e gosta da idéia de que o agito se prolongue até mais tarde. “Sou a favor. O pessoal precisa se divertir e nem todos tem dinheiro para entrar nos bares e pagar consumação. Mas o Fogaça não dizer nada é uma barbaridade. Devia dizer que está do nosso lado”. Leuza Inês Barbosa é moradora da Rua da República e já pensa em se mudar se o novo horário for posto em prática. “Não podemos contar com o prefeito. Ele fica lá, quietinho como criança que fez arte, pensando que vai enganar a gente. Ele é a favor mas não quer dizer para não desagradar pessoas como eu, que moram perto dos bares. Ele deve morar num local bem silencioso e não tá nem aí. Pois eu te digo: se for o caso, me mudo daqui. Mas, também, nunca mais voto no Fogaça”.

É, o murismo do prefeito tem a intenção de não indispô-lo com nenhum dos lados. Pode até funcionar no caso das cadeiras na calçada, mas dificilmente poderá ser aplicado na polêmica surgida com os altos aluguéis cobrados pelos espaços do Camelódromo. Lá, crescem os protestos contra as altas taxas de aluguel e de condomínio cobradas pela Verdi Construtora. Na semana passada, a empresa notificou mais de 80 lojas, ameaçando com despejo caso as dívidas não fossem pagas em oito dias. Dez lojistas já baixaram as portas por não conseguirem pagar os aluguéis que variam de R$ 380,00 até R$ 4 mil conforme o espaço. Segundo o lojista Valdir Terra, 70% dos camelôs estariam insatisfeitos com a situação atual. “A proposta que nós tínhamos quando nós fomos para o Centro Popular de Compras era de que seria um projeto de acordo com as nossas necessidades. Nós apostamos na idéia até porque nós fomos obrigados por força de lei a irmos para lá. Eu não sou contra o camelódromo, mas sim contra o projeto de camelódromo aéreo. Nós entendemos que as lojas nessa região teriam que ser no térreo. Se a prefeitura não nos ajudar com uma carência ou redução no valor do aluguel não será possível nós continuarmos no camelódromo.” Os camelôs, agora, aguardam uma audiência com o prefeito Fogaça que ainda não foi marcada. Fala prefeito!!! (Maneco)



Escrito por Leandro Rodrigues às 21h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]